Início > Direto do Vale > As forças que levam ao Cloud Computing

As forças que levam ao Cloud Computing

06/09/2010

Caros amigos e leitores, se o mercado resolveu chamar as recentes mudanças na tecnologia da informação mundial de Cloud Computing pois bem, poderia ter qualquer outro nome, o fato é que a cada dia que passa fico impressionado com a velocidade com que a computação mundial esta mudando. Faço um alerta aos profissionais de tecnologia, estudantes, professores e principalmente pessoal envolvido com o planejamento de estratégias relacionadas a plataformas de tecnologia que estudem, experimentem, e o mais rápido que puderem.

Vou começar pelas camadas de tecnologia que estão sofrendo maior impacto para depois descrever as forças que estão compelindo esta mudança.

A primeira camada é a nova infra-estrutura computacional. Para chegar ao que se almeja fazer hoje, como aumentar e diminuir a capacidade de todo um datacenter em 1 click, ou para que ele viaje seguro pela web entre datacenters fisicos, e para que ele tenha 100% de disponibiidade para o usuário final, tem que ser totalmente virtualizado. Todos os componentes da Infra-estrutura de tecnologia da informação que conhecemos hoje como computadores fisicos, roteadores e equipamentos de rede, equipamentos de storage, politicas e ferramentas de segurança, equipamentos e ferramenras de monitoração, sistemas operacionais e aplicativos estão em processo acelerado de virtualização total. Este conjunto deve agora formar uma nova camada da tecnologia da informação chamada de Nova Infra-estrutura computacional.

A segunda camada é formada pelas novas plataformas de desnvolvimento de software. Para realizar o objetivo de termos todos os sistemas na nuvem ( seja interna ou externa ) com flexibilidade, acesso por qualquer dispositivo e sistemas flexíveis de forma a permitir integração total entre os dados locais, remotos e publicos, todos os aplicativos que conhecemos hoje deverão ser re-escritos ao longo do tempo.

A terceira e ultima camada é formada pelo tratamento do usuário final, caracterizada como qualquer pessoa que possa interagir com dispositivos tecnologicos daqui pra frente. Estas pessoas são somente as que de alguma forma interagem com computador ? E se pensarmos que celulares, iPhones, iPads, eletrodomésticos, catracas de teatro, estacionamento e pedágio, entre outros estão cada vez mais conectados online e suas novas funções dependem desta conexão. Portanto, mesmo que uma pessoa não tenha um iPad ( que eu particularmente acredito que será o novo computador pessoal ), só de passar por um pedágio eletronico, ela vai estar consumindo Cloud Computing.

Vamos analizar por outra ótica, veja a forma dinamica com que crianças muito novas, adolescentes, adultos e idosos interagem com sua redes sociais. Na maioria delas o usuário tem uma área com seus contatos, fotos, filmes e outros objetos que fazem parte do seu dia-a-dia digital. Em qualquer lugar do mundo, basta estas pessoas desligarem sua conexão ( acesso ao site ) de um computador e se re-conectar em outro para ter acesso imediato aos mesmos objetos e amigos, continuando assim seu momento de relacionamento e entretenimento.

OK, temos aqui uma série de mudanças que por um lado parecem interessantes para facilitar a vida de uma pessoa ( que na maioria das vezes nem tem conciencia das mudanças necessárias nos bastidores ), mas não necessariamento para quem irá liderar estas mudanças em suas empresas, pois como fica o lado corporativo e será que queremos mesmo levar tudo isso adiante ? Que tal aplicar o classico estudo do BAU ( Business as usual, continuar como está ) contra o novo ?

Senhores amigos do mercado de tecnologia da informação, o momento é de alerta total, de forma positiva.

Vejamos as forças que compelem a esta mudança rápida e implementação das 3 camadas que falamos acima :

Porque eu deveria ter uma infra-estrutura 100% virtualizada ? Primeiro os novos sistemas dependem de sua flexibilidade, segundo ela é mais inteligente, mais barata de se adquirir, mais barata de se gerenciar, uma nova forma de fazer computação e a unica forma de se prover a base necessária para o Cloud Computing, mas este não é o principal compelidor, digamos que estes sejam compelidores secundários, o mais interessante vem a seguir.

Porque re-escrever todos os meus aplicativos ou adotar novos que já sejam re-escritos ? Os projetos de aplicações hosteadas dentro de casa ( no seu próprio Datacenter ) são gradativamente uma morte anunciada.

Projetos como o de um CRM ( Customer Relationship Management ) onde os departamentos de produto, marketing e vendas gerenciam todo seu pipeline de vendas, campanhas e resultados até então eram implementados por meio da criação de uma infra-estrutura interna, custosa, complexa, cara e demorada na sua implementação, alem da sua customização que nunca tem fim pois seus usuários nunca chegam a estar satisfeitos.

Os novos CRM ( totalmente re-escritos para o modelo Cloud, nomeados de SaaS – Software as a Service ) são virtualizados, flexiveis seguros e pagos sob-demanda, o que traz uma integração financeira perfeita com o fluxo de caixa da empresa que o consome, por ser contabilizado como investimento operacional ( OPEX ). Além do projeto não necessitar de investimento ( a não ser na parte de serviços como migração de dados ), o programa é auto-customizável pelos seus usuários, e o acesso é feito de qualquer dispositivo móvel pela web. Ao fechar um projeto deste tipo a empresa recebe nada mais que o numero de logins comprados, equivalente ao numero de usuários que irão interagir com o sistema. Toda infra-estrutura esta na nuvem, segura, disponível e isolada 100% de qualquer outro sistema de outra empresa hosteada pelo mesmo provedor.

Este novo modelo de software não se aplica somente a sistemas empresariais. A mesma análise pode ser feita pela ótica de um usuário doméstico, como por exemplo a necessidade de editar uma fotografia com recursos avançados. Podemos entrar no google hoje e achar uma série de empresas que já ofereçem softwares de edição de fotografia online, com os mesmos recursos de um software que “antigamente” era instalado no computador. Por que eu vou comprar um licenciamento muito caro por eu não trabalhar com isso para fazer esta adição. Basta “alugar” este software online por 1 dia e fazer o que for necessário, novamente meu investimento foi “sob-demanda” e não de capital.

A empresa de CRM no modelo SaaS esta ganhando todas de sua concorrencia, e os concorrentes por sua vez estão correndo para re-desenhar seus aplicativos e ofertas como SaaS pois se continuarem no modelo anterior por mais 1 ano vão sair do mercado.

Portanto pergunto novamente, será que devo re-escrever meus aplicativos ?

A experiencia de mobilidade e digitalização que se tem nas redes sociais é o nível de experiencia cada vez mais exigido pela população em geral. Será que voce não vai perder todas os seus cliente a médio prazo que não remodelar seus produtos, assim como a empresa de CRM fez ?

Eu escrevi um livro sobre Virtualização e Cloud Computing, e tive um almoço com um editor que disse : “Estou mudando meu produto de publicação de livro físico e auxilio no texto para hostear um sistema de Blogs e certificação oficial de livros digitais na web, ainda com os serviços de auxilio do texto, porque se não vou estar fora do mercado em pouco tempo”. Foi daí que resolvi colocar meu livro na internet em forma de Blog e não mais publicar, pois o mundo já mudou.

E quanto a terceira camada, ao tratamento do usuário final ? Bem, hoje eu quero ter acesso a minha caixa postal de qualquer lugar, aplicativos tambem, talvez musicas e videos, acesso ao banco, assim como nas redes sociais, e de preferecia do meu iPad. Será que sou o único ? E se considerarmos os inúmeros novos “animais no zoológico” que forma uma vasta opção de dispositivos ? Precisamos ter certeza de que o acesso vindo de todos eles seja transparente. E as novas pesquisas nessa área ? Impressionante, dispositivos que projetam telas de computador em qualquer superfície ( interagimos pelo toque na área projetada ) ou até dipositivos que captam ondas cerebrais e transformam em comandos já estão aí, não são mais ficção cientifica, eu assisti ao vivo demostrações destes dispositivos semana passada em San Francisco, assim como mais de 17.000 pessoas.

A maior força que compele ao Cloud Computing ou melhor dizendo, as mudanças rápidas e radiais na computação mundial é o surgimento de novos produtos e ofertas modernos, de acordo com a expectativa das novas gerações, e das mais “antigas” que estão sendo recicladas. Estas mudanças computacionais estão diretamente ligadas a mundança dos produtos e modelos comerciais tradicionais, estando tambem diretamente relacionadas a economia mundial.

Arlindo Maluli

Diretor, VMware Latin America – Pre-Vendas

http://amaluli.com

Anúncios
Categorias:Direto do Vale
%d blogueiros gostam disto: