Início > Cloud Computing, Conceitos > Colaboração, plataforma para negócios e Cloud Computing

Colaboração, plataforma para negócios e Cloud Computing

25/05/2010

Colaboração é um conceito muito inerente à experiências humanas por milhares de anos. No âmbito dos negócios, até a década de 70 do século XX, o conceito abraçou um estilo de gerenciamento chamado de ‘management by walking around’. Este estilo foi facilitado pelas relações em que pessoas trabalham juntas, como um time, no mesmo espaço. A partir dos anos setenta, o modelo de ‘head office/ branch office’ (matriz/ sucursais) emergiu assim como as corporações (empresas e indústrias) cresceram de tamanho, introduzindo ‘tempo’ e ‘distância’ nos sistemas de processos. Mas a diferença de produtividade foi minimizado porque as sucursais tendiam a ser autônomas e as pessoas podiam continuar conectadas entre si mais facilmente.

Desde então, a força de trabalho se tornou, cada vez mais, distribuída/ dividida. E foi acelerada pela globalização que tomou conta dos modelos de negócios. Nos últimos trinta anos, ferramentas como mensagem de voz e correio eletrônico (email) tentaram encerrar esta diferença ainda mais, proporcionando uma comunicação em tempo real (ou irreal). Entretanto, um aumento da força de trabalho remoto juntamente com a variável da equipe fez com que a  diferença da produtividade também crescesse rapidamente. ‘Distância’ e ‘tempo’ tornaram lentas as tomadas de decisão e criaram um efeito contrário, impedindo a inovação. Os modelos existentes não conseguem se manter e parte dessa falência se deve pela rápida evolução da força de trabalho.

Quando se fala em força de trabalho, se fala na grande variedade de ferramentas e sistemas nos quais são utilizados para a execução das tarefas do dia-a-dia. O uso de mobile phones (smart phones), laptops/ notebooks, e até mesmo ferramentas específicas como scanners, potencializou o fluxo de trabalho por meio de sistemas mais modernos e pela acessibilidade gerada pelas mudanças na relação local versus trabalho  – da casa para o carro, do carro para o escritório ou chão de fábrica, e para saguão de um hotel.

Redes inteligentes são utilizadas para unificar não só elementos do local de trabalho, mas também para unificar estes elementos entre grupos de usuários. As pessoas precisam se conectar, se comunicar para garantir que todos estejam envolvidos nas tomadas de decisão. Apenas arquiteturas capazes de integrar cada mudança poderá criar um sentimento de colaboração , e somente a rede pode assegurar que esta experiência de colaboração seja universalmente disponível para todos. Na verdade, a rede tem alimentado os departamentos de TI das corporações a aumentar a produtividade nos últimos tempos.

Mesmo com o surgimento da força da computação, em que empresas como IBM, Microsoft e Apple tornaram populares seus dispositivos, somente com a unificação da rede IP que a relação entre as pessoas, no ambiente de trabalho, ganhou maior facilidade. Este rede concebeu a Internet e o IP Telephony, alterando de forma drastica a economia das comunicações e tornando viável financeiramente a globalização. Embora o surgimento de multiplataformas (uso de formas como texto, vídeo e voz) tenha resultado em uma importante inclusão digital, acessível por qualquer um e de qualquer parte do mundo, foi a colaboração a responsável pela redução da diferença de produtividade, ao superar as barreiras da ‘distância’ e ‘tempo’ e acelerar inovações. As soluções de ponta de hoje, consideradas de colaboração, como Facebook e Google, capturam o melhor de dois diferentes mundos, oferecendo agilidade, ubiqüidade e flexibilidade.

Colaboração não se trata apenas de tecnologia. É uma plataforma para negócios, mas para atingi-la é obrigatório focar três importantes áreas. Primeira, as pessoas precisam desenvolver uma cultura corporativa que seja inclusiva e que promova a colaboração. Segunda, os processos precisam ser adaptados e modificados para abrandar o controle e comando com a finalidade de que o corpo diretivo e o conselho definam prioridades e estabeleçam decisões. Finalmente, é necessário alavancar tecnologias que ajudem a superar as barreiras de ‘distância’ e ‘tempo’, e modifique a força de trabalho.

Se colaboração é a plataforma para negócios, a rede é a plataforma para a colaboração. Unificar comunicações permite que pessoas interajam por uma rede inteligente, incorporando o melhor da geração de aplicativos, tais como IP Telephony, contact centers, vídeo-conferêncfias e mensagens instantâneas. A Web 2.0 permeia o uso de aplicativos de colaboração para um rápido desenvolvimento da integração de serviços de rede, de comunicações e vídeos, para o incremento dos negócios e da infraestrutura.

Clientes devem escolher aqueles aplicativos que lhes interessam, dependendo das necessidades de seus negócios, sob uma demanda específica. Já os fornecedores devem ser capazes de entregar estas solicitações, se responsabilizando pela eficiência nesta aquisição de aplicativos sob medida.

Portanto, a colaboração e a rede são as premissas para a introdução do conceito de Cloud Computing, estabelecendo uma comunicação sob demanda, conhecida no mercado como Communication-as-a-Service (CaaS).

Informações baseadas no livro Cloud Computing – Implementation, managemente and Security – CRC Press

Anúncios